Antonio Fortino fala sobre o Projeto Cavalos Novos FPH 2020

03/03/2018 as 04:54
O recém criado Projeto Cavalos Novos 2020 uniu a Federação Paulista de Hipismo (FPH) e a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Brasileiro de Hipismo (ABCCH) em um objetivo comum em prol do total aproveitamento do potencial esportivo dos animais criados no Brasil.
 
Saiba mais sobre o Projeto e suas implicações nessa entrevista com Antonio Celso Fortino, conhecido criador de cavalos da raça Brasileiro de Hipismo, ex-presidente da ABCCH e ex-diretor de Cavalos Novos da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), atualmente parte atuante da Diretoria de Salto da FPH.
 
Antonio Fortino com o grande garanhão Casall, em uma de suas viagens de pesquisa do melhor da criação internacional (arquivo pessoal)
 
FPH - Quais são as bases do Projeto de Formação de Cavalos Novos?
 
Fortino - O bom desempenho esportivo está atrelado às performances de cavaleiro e cavalo. A atual gestão da FPH trabalhou forte em seu primeiro ano para criar mecanismos de incentivo à formação dos cavaleiros. Agora, está promovendo um plano de incentivo à formação do cavalo novo para que em um futuro breve esses cavalos estejam disponíveis para os filiados de São Paulo nas mais variadas categorias. Basicamente o programa premia e incentiva a formação correta do cavalo novo.
 
FPH - Quais as semelhanças entre este Projeto e o Projeto Olímpico Rio 2016, que fez despontar tantos animais de qualidade como o olímpico Land Peter do Feroleto, Cassilano JMen, SL Implacável, todos com sucesso nas provas de alto rendimento, inclusive no exterior, entre vários outros?
 
Fortino - Os projetos são muito parecidos, e com os mesmos objetivos. O ano de 2018 será apenas observatório, mas após cada etapa dos torneios programados serão divulgados os cavalos selecionados, conforme suas qualidades para atingir o desempenho de alto rendimento. Em cada etapa, os animais poderão entrar ou sair do grupo selecionado, conforme seu desempenho técnico. No Festival do Cavalo Brasileiro de Hipismo, em novembro, os dois grupos serão definidos - Grupo A para os produtos de 7 e 8 anos hípicos, e Grupo B para animais entre 4 e 6 anos - para que em 2019 sigam no Projeto. Entre esses selcionados háverá o sorteio de um carro para o Grupo A e uma moto para o Grupo B, em 2019 e em 2020. O Regulamento completo já está disponível no site da FPH.
 
 
FPH - Como será a avaliação dos cavalos? Quais os principais critérios?
 
Fortino - A FPH, em conjunto com a ABCCH, está formando um grupo de seis especialistas em cavalos que irão julgar as qualidades técnicas dos animais. Serão observados cinco quesitos: força, técnica, respeito pelos obstáculos, montabilidade e a saúde do animal. Este último quesito só será analisado após a confirmação do ingresso do cavalo no projeto, e com acordo do proprietário do animal.
 
FPH - Qual a responsabilidade dos criadores, proprietários e cavaleiros no processo de formação de uma bom animal de esporte?
 
Fortino - O resultado de um bom cavalo de esporte está sustentado por cinco pilares: genética, criação, doma, iniciação e cavaleiro. Se algum desses pilares quebrar, com certeza o cavalo não chega lá. Resumindo, não podemos creditar o sucesso ou o insucesso do cavalo somente ao criador, toda a cadeia tem que funcionar. Não adianta ter a melhor genética do mundo se não alimentar bem o animal. Se tiver genética, boa criação, e na hora da doma deixar o animal com sequelas, não adianta. A iniciação é igual a uma criança na escola. Ensinou errado, vai ficar com isso por toda a vida. E por fim, fazendo tudo certo, colocar esse cavalo na mão de um péssimo piloto, o resultado não vira.
 
FPH - E qual você acredita ser o principal objetivo do Projeto?
 
Fortino - O Projeto vai incentivar e destacar os expoentes de toda a cadeia produtiva do cavalo de esporte, do criador ao cavaleiro, passando por investidores, veterinários, comerciantes de cavalos e etc. Os resultados estão atrelados a cada profissional. Boa parte dos cavalos que participaram do Projeto Rio 2016 cumpriram e estão cumprindo muito bem suas funções desde as categorias de base até os GPs internacionais. Desse modo, fica muito mais fácil observar os cavalos selecionados para atender a necessidade pessoal de cada tipo de cavaleiro.
 
FPH - Gostaria de fazer outras considerações?
 
Fortino - Temos consciência de que apenas três anos é muito pouco para formar cavalos de alto rendimento, por isso incluímos o grupo de cavalos de 4, 5 e 6 anos para começar desde já a seleção para projetos mais ambiciosos, como Paris 2024. Essa é uma iniciativa da FPH atendendo inclusive o estatuto da entidade, que menciona o dever de fomentar a formação de cavalos novos.Tenho orgulho de participar desta diretoria que não se acovarda de tentar soluções para o desenvolvimento do esporte paulista e brasileiro como um todo.
 
Agenda
 
A 1ª etapa observatória será durante a 2ª etapa do Ranking da Sociedade Hípica Paulista e já está com as inscrições abertas. Clique aqui e veja o programa da 1ª etapa e o Regulamento completo do Projeto.
 
Os novos concursos válidos como etapas observatórias em 2018 são:
 
1. CSE de Cavalos Novos - Sociedade Hípica Paulista - 8 e 9 de março
2. CSE de Cavalos Novos - Clube Hípico de Santo Amaro - 23 de abril
3. CSE de Cavalos Novos - Sociedade Hípica de Campinas - 25 e 26 de maio
4. Campeonato Paulista de Cavalos Novos - 4 a 8 de julho
5. CSE de Cavalos Novos - Parque de Exposições de Bauru - 10 e 11 de agosto
6. CSE de Cavalos Novos - Haras Cooper - a definir
7. CSN Festival Nacional do BH - 14 a 18 de novembro
 
 
"Federação em Ação"